Responsabilidade emocional – tenha com si próprio e com os outros

A responsabilidade emocional com si próprio é aquela em que você assume o controle do seu comportamento bem como dos seus pensamentos e sentimentos. Por sua vez, ter uma responsabilidade emocional com o outro é analisar se eu o modo de agir vai afetar ou não os sentimentos daquela pessoa. Não é algo contraditório, afinal por mais que eu entenda que somos nós os únicos responsáveis por aquilo que nos permitimos sentir, não posso fechar meus olhos para a hipótese de muitas vezes nós causarmos algo de ruim para alguém.

Pensa bem, nós sabemos que ninguém pode nos atingir sem o nosso consentimento, não é mesmo? Mas muitas pessoas não possuem essa mentalidade treinada para não se deixarem atingir por outrem. Em virtude disso é muito importante termos essa responsabilidade emocional com as pessoas.

O meu intuito com esse artigo é te mostrar que você é o único responsável por aquilo que sente. Mas também quero falar um pouco sobre a importância de ter um maior controle sobre suas ações para não ferir outras pessoas. Afinal, isso é muito comum em relacionamentos amorosos. Muitas pessoas saem realmente feridas – sobre o assunto clique aqui e aprenda a superar a dor de amor.

Responsabilidade emocional com si próprio

responsabilidade emocional

Ao longo da vida mantemos relações com os mais diversos tipos de pessoas. Muitas entram em nossas vidas para acrescentar, somar. Todavia, tantas outras para nos ensinar a não sermos como elas. Poxa, pensa bem… você consegue se lembrar de uma pessoa que entrou na sua vida e não deixou nenhuma boa lembrança? Esse indivíduo certamente trouxe grandes lições para você.

É muito importante que você não caia no erro de culpar uma outra pessoa por você se sentir de tal maneira. Provavelmente essa frase seja familiar “você é o culpado por eu me sentir assim”. Já escutou ou disse ela? Pois bem, isso não é verdade. O único responsável pela maneira que nos sentimos somos nós mesmos. Ninguém tem o poder de entrar dentro de nós e dizer “você vai se sentir assim”. Não, a maneira que nos sentimos é apenas a forma que escolhemos interpretar os fatos e comunicá-los para nós mesmos.

Por exemplo, aquele indivíduo que sofreu muito em um relacionamento amoroso e agora ele não quer mais saber do amor porque para ele isso é sofrer. Nossa senhora, veja bem… olha a maneira que ele escolheu se sentir. Isso é uma tremenda falta de responsabilidade emocional com si próprio. Afinal, ele vai está se trancando para novos amores porque escolheu interpretar os fatos de uma maneira limitante. Sobre esse medo de amar clique aqui e aprenda como superar e seguir em frente.

Por fim, o que eu quero enfatizar nesse tópico é que somente você tem o poder de escolher como vai se sentir. Não atribua a nenhuma outra pessoa essa responsabilidade. Afinal, é como eu disse… as pessoas só nos atingem se assim permitirmos. Em outras palavras, tenha melhores interpretações dos fatos e saiba sempre optar por aquilo que mais lhe convém.

A responsabilidade emocional com as pessoas

responsabilidade emocional com as pessoas

Por mais que no tópico anterior eu tenha falado sobre somente nós sermos os responsáveis por aquilo que sentimos vale um alerta. Isso não quer dizer que nós não devemos nos preocuparmos com o que o outro sente. Nós devemos sim ter uma responsabilidade emocional com as outras pessoas. Afinal, pessoas não são produtos, não são mercadorias que usamos e descartamos quando quisermos.

Claro que ninguém é obrigado a permanecer na vida de alguém. Não somos obrigados a absolutamente nada. Cada um age da maneira que bem entender – claro, com as devidas consequências. O que eu quero dizer nesse tópico é que por mais que você não se sinta bem na companhia de outra pessoa aprenda a ser honesto. Isso é ser humano. Pessoas tem sentimentos, não seja como muitos que preferem estragar uma relação para o outro se desgastar e vim a colocar um fim. Não, se você não se sente mais bem é hora de terminar algo e guardar as boas lembranças.

É comum o sentimento acabar, é comum o desejo não vingar eternamente. Mas jamais saia da vida de alguém como se nunca tivesse feito parte um dia. O que mais me entristece em muitas pessoas é a facilidade que elas têm de ir embora sem dar a devida justificativa. Muitos preferem deixar o outro sofrer perversamente do que dá ao menos um motivo. Boa parte das vezes o problema nem está na outra pessoa, mas sim em nós mesmos. Todavia com essa atitude de ir sem deixar um motivo claro faz com o que o outro não se sinta bom o bastante e mergulhe numa tempestade incontrolável de sentimentos. Caso você esteja passando por isso – por essa dor – clique aqui e aprenda como superar a dor de amor.

Espero que esse artigo tenha feito uma diferença na sua vida. Ficarei muito feliz em ler um comentário seu a respeito da leitura. Vamos lá! Deslize essa tela para baixo e deixe seu comentário mais abaixo! Será um prazer saber a sua opinião.

Seja mais um importante contribuinte:

Para que possamos ajudar cada vez mais pessoas diariamente a superarem seus limites e terem inspiração para vencerem na vida eu necessito da sua contribuição. Se for de coração alegre clique aqui e me ajude a ajudar.

Compart. 0

Deixe um comentário: