Chaves – 5 lições valiosas que aprendi com o Chaves

Quem nunca assistiu aquele seriado de um menino de 8 anos que mora em um barril em uma vila? O Chaves é um seriado com 45 anos e que é transmitido pelo SBT há 33 anos. Por mais que seja uma série que nos alegra, ela pode também nos dá inúmeras e inúmeras lições sobre a vida. É indispensável que eu fale a genialidade presente na série, mas é de comum acordo que mesmo após tantos anos essa série ainda consegue ser fonte de inúmeras gargalhadas em minha casa e uma fonte de unir a família para vez ou outra rirmos dos episódios já assistidos centenas de vezes.

O objetivo desse artigo é te apresentar lições valiosas que a série nos transmite. Espero que com esse estudo você possa refletir mais sobre as lições e caso ainda não aplique alguma em sua vida passe a aplicar imediatamente. Aproveite o conteúdo!

A distância entre pensar no bem e fazer…

Uma das lições mais importantes que eu aprendi com o Chaves e inclusive foi assistindo a pouco mais de dois meses. É com relação ao episódio em que está o Professor Girafalles, a Dona Florinda, o Chaves e o Kiko falando sobre os desenhos que os meninos fizeram. Em um desenho o Chaves mostra o seu café de todas as manhãs, ou seja, uma página em branco. O Professor Girafalles fica em choque e começa a fazer uma reflexão sobre o quanto existem pessoas que não têm o que comer. Todos ali entram no assunto e começam a comer as bolachas que a Dona Florinda trouxe, mas em nenhum momento alguém as oferece ao Chaves.

Então qual a grande lição que eu tive ao assistir esse episódio? A lição é que muitas pessoas estão de fato apenas preocupadas com a dor alheia no mundo teórico. Muitos estão de fato preocupados com a fome, com a miséria, apenas quando estão em grupos de pessoas e surge alguma discussão a esse respeito. Mas realmente são poucas que estão preocupadas no mundo prático e entram em ação para fazer algo por quem vive com extrema necessidade de ser ajudado. Então eu te convido a fazer algo por pessoas que necessitam de nossa ajuda. Não seja apenas mais um que se preocupa apenas na teoria.

A imaginação pode nos trair

Outra grande lição que podemos aprender com o Chaves é uma que está no episódio em que o Kiko, a Chiquinha e o Chaves vão entregar um jornal a pedido do Seu Madruga para a Dona Clotilde. Mas as crianças estão tomadas pelo medo. Antes mesmo de entrar na casa da Dona Clotilde elas já começaram a imaginar muitas situações terríveis que na imaginação delas iriam encontrar dentro da casa. Ao término do episódio a Dona Clotilde chega com presentes para as crianças. O Chaves termina dizendo “não devemos nos guiar pelo que as pessoas parecem, mas sim pelo que elas são.”

A lição que eu tenho é que muitas vezes julgamos as pessoas antes mesmo de nos darmos a oportunidade de conhecê-las melhor. Então a grande lição é que devemos ter cuidado com os preconceitos que temos com relação a alguém. Devemos sempre ter em mente que a realidade pode ser muito diferente do que as aparências. Nunca devemos julgar ninguém pelo que ela aparenta, mas sim pelo que ela verdadeiramente é.

O Chaves e o não sentimento de ódio

Outra grande lição que podemos ter ao assistir o Chaves é com relação ao episódio em que todos acusam o Chavinho de ser um ladrão e assim ele acaba indo embora da Vila. Todavia, ele voltou para sua casa e todos já sabiam que não era ele o ladrão. Ao fim do episódio ele vai contar ao Kiko e a Chiquinha sobre o que aconteceu no tempo em que esteve fora da vila. Ele fala sobre ter ido à Igreja e rezado para que tudo se ajeitasse.

A Chiquinha diz que a reza não deu certo, pois o ladrão não havia sido encontrada. Mas o Chaves diz que não rezou para encontrarem o ladrão, mas que para ele (o ladrão) se arrependesse e virasse uma pessoa boa. E não é que deu certo? O Senhor Furtado que era o verdadeiro ladrão devolveu tudo o que tinha furtado e ainda deu um sanduíche de presunto ao Chaves.

A grande lição aqui é que muitas vezes quando nos acontece situações injustas tendemos a guardar ódio, ressentimentos, torcer pelo mal daquele que nos injustiçou. O Chaves nos mostra que para toda injustiça o sentimento de amor pelo próximo ainda tem de prevalecer.

Seja perseverante

Outra grande lição que pode até passar despercebido por muitos é sobre a perseverança do Seu Madruga. Por mais que ele não tenha tido um emprego fixo, em vários episódios lá estava ele tentando se virar da forma como podia. Você se lembra de quantos trabalhos ele já teve? Eu me lembro do Seu Madruga trabalhando em uma barbearia, sendo boxeador, empresário de rua, pintor, vendedor, sapateiro, etc.

Então a lição que devemos ter é que a perseverança nunca pode faltar por mais que as coisas não saem de acordo como gostaríamos. Devemos sempre persistir e perseverar. Afinal é somente assim que podemos alcançar algo na vida. Aqueles que desistem jamais conseguem conquistar grandes objetivos.

Nunca é tarde para começar

O grande ensinamento que quero passar nesse momento não é sobre a série. Mas sim sobre um dos personagens por trás dela. Roberto Bolãnos. Certa vez ele disse “A primeira vez que interpretei Chapolin Colorado, tinha 41 anos, e depois com Chaves tinha 42. Nunca é tarde para começar. Eu quero dizer isso especialmente para as pessoas que dizem que não têm oportunidade. Oportunidades sempre existem.”

Muitas pessoas desistem muito cedo dos seus sonhos, dos seus objetivos. É um jeito muito equivocado de viver. Afinal os sonhos só morrem quando não estamos mais vivos. Enquanto há vida, há sonhos, há objetivos. Tenha sempre isso em mente: nunca é tarde para começar.

Espero que esse artigo tenha feito uma diferença na sua vida. Ficarei muito feliz em ler um comentário seu a respeito da leitura. Vamos lá! Deslize essa tela para baixo e deixe seu comentário mais abaixo! Será um prazer saber a sua opinião.

Seja mais um importante contribuinte:

Para que possamos ajudar cada vez mais pessoas diariamente a superarem seus limites e terem inspiração para vencerem na vida eu necessito da sua contribuição. Se for de coração alegre clique aqui e me ajude a ajudar.

Compart. 0

2 Comentários

  1. Gera

    Reflexões Maravilhosas. Que possamos nos comprometer em ajudar as pessoas no mundo real. Pois sot na teoria não resolve.

    Responder

Deixe um comentário: